Dualidade

05/03/2021

A polarização, a dualidade, existe dentro da história da humanidade desde sempre. A idéia de que existe um bem e um mal, de que existe certo e errado, de que tudo é ou preto ou branco é algo que perpassa a nossa história, é algo que formou a nossa sociedade. vivemos em um mundo de conflitos, batalhas, guerras, e não é uma característica inerente da Humanidade, está por toda a natureza, entre os animais, insetos, até mesmo nas plantas, o nosso mundo é extremamente “belicoso”, como muitos chamam a batalha entre o bem e o mal, os opostos, mas se observarmos mais de perto, com muita atenção, veremos que são forças antagônicas que coexistem em equilíbrio perfeito, e por incrível que pareça, todos nós, ou melhor, o Universo inteiro necessita dessas forças opositoras, senão não teríamos nem mesmo a noção do mundo físico, daí você pergunta: “- Como assim?” Vou citar exemplos práticos, para um melhor entendimento.

Se vivêssemos em um lugar onde nunca escurecesse, jamais teríamos a noção de escuridão, porque só existiria luz. Mas, também não reconheceríamos a claridade, não saberíamos sequer de sua existência, mesmo estando dentro dela. Se todas as pessoas, árvores e montanhas tivessem a mesma altura, não teríamos noção de alto e baixo. Luz e escuridão, alto e baixo, calor e frio, entre outros, deu para ter uma noção da importância dos opostos em nossas vidas? Assim, fica fácil perceber que essa dualidade é fundamental para que se tenha noção do mundo físico.

Outra explicação sobre esse assunto é através da Filosofia Pitagórica, nela, postulava que o UM se transformava em DOIS refletindo-se a si próprio e separando-se, original e reflexo, sendo assim o UM o princípio criador estático e o representando o DOIS a dinâmica da Criação. A interação entre o UM e o DOIS gerou o TRÊS, a Criação. Esta resultou, assim, da interação entre o estático e o dinâmico, ou seja, conclui-se que a dualidade é fecunda, que é necessária a presença da dualidade para haver criação, macho e fêmea, homem e mulher. Mas resulta ainda mais do que isso: não basta que exista dualidade, tem que haver interação entre os opostos para que a criação aconteça. Não bastam dois opostos estáticos; é necessário que esses dois opostos sejam dinâmicos e interajam entre si (sexo).

Seguindo essa linha de raciocínio, o bem, por si só é estático e estéril. O bem só evolui em confronto com o mal. É desse confronto entre ambos que resulta algo, só podemos definir o bem em confronto com o mal, tal como necessitamos da sombra para bem aprender o que é a luz.

Pode-se manipular estas forças opostas ao nosso favor, tanto para fazer o bem, como para fazer o mal, vejamos um exemplo, um policial, ele observa que há um bandido que está cometendo um delito, ele vai ter que fazer uso da força, imobilizá-lo, ou até mesmo matá-lo para sua legítima defesa, logo ele estará usando o mau para fazer o bem, a mesma coisa ao contrário, o bandido vai cometer um delito, um exemplo que já aconteceu, assaltar um hotel, ele vai usar um terno, chegar com um carro do ano, vai abordar educadamente o recepcionista e levar todo o dinheiro disponível, ou seja, ele usou o bem para ludibriar e fazer o mau. Aqui não é assunto para isso, mas até na política a Dualidade se manifesta, tem os políticos de direita e os de esquerda, perceberam? É em tudo.

A Humanidade só evoluiu porque sempre necessitou de se confrontar com o perigo, com a fome, com a necessidade, em suma, com o mal, e teve de superar todos os sucessivos obstáculos para atingir sucessivos patamares de bem, de satisfação, sempre confrontada com novos perigos, obrigando a novas superações. É ao superar os sucessivos obstáculos com que se depara que o Homem se supera a si mesmo, portanto, temos que ficar atentos porque muitas das vezes, é necessário o sofrimento, como o cirurgião deixa que o doente sofra as dores de uma operação que lhe trará a cura.

A sociedade impõe comportamentos considerados apropriados para a chamada “boa convivência” e os comportamentos fora do padrão vigente são relegados às sombras. Luz para o aceitável, escuridão para o inaceitável. Eis a dualidade. Todos nós somos potencialmente bons e maus, positivos e negativos, carrascos e libertadores, com poder de ferir e curar, de salvar ou de extinguir a vida, de cometer os piores e mais bárbaros atos e também dos mais sublimes em favor do próximo.

A evolução da humanidade fez questionar, de novas formas, os antigos paradigmas e, lentamente, com o passar dos séculos, cada um deles vai dando lugar a novos paradigmas, mais de acordo com a nova sociedade que desabrocha. É flagrante, nos últimos séculos, a substituição da exaltação da força muscular pela exaltação da inteligência; o crescente repúdio pelas guerras, pelas soluções de força, pelos conceitos de nacionalismo e de pátria, pela poluição e destruição do meio-ambiente. A humanidade, como um todo, questiona e não tolera mais os paradigmas que regeram o início do século XX. Embora este fenômeno não seja ainda universal, e siga as leis da dialética, mais e mais se observa, através do acesso imediato à imprensa, à comunicação instantânea e mundial, o fluxo da opinião pública que se move em direção ao bem-comum, ao bom-senso e à harmonia e à paz.

Uma boa síntese sobre a dualidade, encontra-se na filosofia chinesa do Ying e Yang, que inclusive tem até um símbolo, que está no final deste artigo, erroneamente mal interpretado por pessoas ignorantes ao assunto, como um dos símbolos da “Nova Ordem Mundial” ou “Nova Era”, não tem nada haver, mas não vou me aprofundar no assunto, posso abordar o assunto em uma outra oportunidade, em resumo, necessitamos dos opostos, bem e mal, positivo e negativo, tal como na pilha existe também os dois pólos, se um faltar ou deixar de existir, a pilha não funciona, assim é para toda a vida, todo o Universo. Meus amigos, encerro por aqui, sugestões sobre outro tema, é só escrever nos comentários ou me enviar mensagem, pelos meus meios de contato disponíveis, um grande abraço a todos.

Símbolo do Ying e Yang

Fontes:

https://guiadaalma.com.br/dualidade-espiritual-material/

https://psiconlinews.com/2016/02/dualidade-os-dois-lados-da-mesma-moeda.html

https://osegredo.com.br/dualidade-energetica-do-ser-humano/

http://systri.com.br/blog/maconaria-2/maconaria-e-dualidade-humana

https://www.rlmad.net/arquivoblog/simbolismo/pavimento-mosaico/

http://sobrare.com.br/de-que-lado-voce-esta-polaridade-ou-dualidade/

Livro: Mediunidade: Estudo e prática – Programa I