Decifrando o 666

18/05/2021

Porque 666 é o número da besta ou marca da besta? Está associado ao trecho das escrituras sagradas judaico-cristã (relacionado ao conjunto de livros compostos pelo Velho Testamento e Novo Testamento), talvez esse número seja a referência mais famosa do Apocalipse, uma palavra que vem do grego antigo, que significa “revelação”, e é descrita no último, mais estranho e mais controverso livro da Bíblia cristã, livro que narra o fim dos tempos e tem influência até hoje nas artes, também chamado de “Livro da Revelação”, atribuído supostamente ao Apostolo João Evangelista que o escreveu no século I DC, Capítulo 13, um dos discípulos de Jesus, mas o que poucos sabem, é que os mitos ali descritos, se originam da disputa com os romanos.

O livro de Apocalipse trata de revelações dadas pelo Deus Bíblico, relatando acontecimentos proféticos de um determinado período do tempo da história, a saber, o último período da contagem dos dias antes do fim dos tempos. Sua essência foi usada como fonte de superstições no decorrer da história.

Nero, cometeu várias atrocidades contra os cristãos

Alguns acadêmicos acreditam que ele usava códigos e símbolos para alertar os cristãos da época sobre a adoração ao imperador de Roma e lançar um ataque ao poderoso regime. Nos alfabetos grego e hebraico, toda letra tem um número correspondente. Então, se você somasse todas as letras do seu nome, você tinha um código numérico. Na Antiguidade, era comum utilizar estes números correspondentes para disfarçar nomes das pessoas. Dessa forma, para esconder o nome do imperador Nero César, a soma de suas letras daria o número 666, muitos historiadores acreditam que a perseguição de Nero aos cristãos em Roma, que os acusou pelo grande incêndio em Roma em 64 DC, que intensificou ainda mais as hostilidades sofridas pela vertente do império e as execuções de cristãos aconteceram com maior frequência, isso fez com que ele fosse uma figura odiada, demonizada, pelos primeiros cristãos que fizeram referência ao imperador como “a besta”.

Em números, nome do imperador Nero Cesar vira 666

O “número da besta”, como é popularmente conhecido, o trecho que o cita diz: “Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, porque é número de homem; e seu número é seiscentos e sessenta e seis.” é o que diz uma das traduções do versículo 18, que encerra o capítulo 13. E a partir de então, crentes e descrentes passaram a associar o número “666” ao diabo e tudo o que está relacionado ao inferno e ao maligno.

Se pegarmos a citação do versículo 18 e olharmos em Gênese 1:24-26,31, veremos algo interessante relacionado ao número 6, observem bem:

Apóstolo João Evangelista

“E disse também Deus: Produza a terra seres vivente, conforme a sua espécie: animais domésticos, répteis e bestas-feras, segundo a sua espécie. E assim se foi. E fez Deus as bestas-feras, segundo a sua espécie,e os animais domésticos segundo a sua espécie,e todos os répteis da terra conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom.”

“Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre os animais domésticos, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se rastejam pela terra… E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom; houve tarde e a manhã, o dia sexto

Viram como as peças se encaixam, fazem sentido? Resumidamente, Deus fez as Bestas-feras e o Homem no sexto dia. “Número da besta, número do homem”, por isso o número 6.

Há também uma passagem muito interessante na Bíblia referente ao Rei Salomão, o que levaria a reforçar ainda mais a demonização desse número, encontra-se em Reis 10:14, que diz o seguinte: “E o peso do ouro que se trazia a Salomão cada ano era de seiscentos e sessenta e seis talentos de ouro.” Daí por diante não teve mais felicidade, lendo a partir desse trecho, nota-se que o reinado de Salomão entrou em declínio.

Outra imagem famosa do livro é a da besta do apocalipse e suas sete cabeças, que emerge do oceano e exige ser adorada. O nome de uma blasfêmia está escrito em cada uma das suas cabeças. A besta seria Roma, e suas cabeças representariam os sete imperadores que a Roma antiga havia tido naquele tempo. Os nomes de blasfêmias representam a tendência dos imperadores romanos de se chamarem de deuses.

Armagedon vem da Batalha do Armagedon, descrita no livro por duas vezes. O nome Armagedon é baseado no nome do Megido, um monte que hoje fica em Israel. Segundo estudiosos, “ar” (ou “har”) significa monte em hebraico, e “magedom” (ou “magedo”) equivale a Megido. Na época de João, o Megido era um sangrento campo de batalha e abrigava uma das legiões mais cruéis de Roma.

Para a interpretação de muitos, a Batalha do Armagedom é uma luta entre o bem o mal – Deus e Satã – durante os últimos dias do mundo.

Já vimos que 666, o seis repetido três vezes seria o nome cifrado de Nero César, mas há também uma outra versão, através do Livro do Apocalipse, que seria uma espécie de afronta a Santíssima Trindade, que é Pai, filho e espírito Santo, no caso esse número faria referência ao Dragão, a Besta e o Falso Profeta, vejamos o que está escrito:

“E da boca do dragão, e da boca da Besta, e da boca do falso profeta vi saírem três espíritos imundos, semelhantes a rãs, porque são espíritos de demônios, que fazem prodígios; os quais vão ao encontro dos reis de todo o mundo para os congregar para a batalha, naquele grande Dia do Deus Todo-Poderoso” (Apocalipse 16:13-14)

Foi citado os principais, os detalhes mais famosos desse incrível livro da Bíblia, mas podemos notar que praticamente o tempo todo, de maneira cifrada, faz referência a Roma, a lei romana era implacável, e quem fosse pego fazendo críticas ao Império Romano, poderia vir a sofrer sangrentas perseguições.

Cristãos sendo queimados vivos

Há uns anos atrás tive a oportunidade de conversar com um amigo, que infelizmente perdi contato, ele se denominava evangélico, mas estudava sozinho a Bíblia, praticamente recluso, o que me chamou a atenção é que ele se esforçava ao máximo para estudar a Bíblia em hebraico, para nós ocidentais não é fácil esse idioma, e me aconselhava que o ideal era citar o nome de Jesus e dos profetas em hebraico, mas de preferência em aramaico, e baseado nas pesquisas para escrever este artigo, lembrei muito dele, que bateu muito com o que ele me falou, e ele me disse que tudo que está escrito no Livro do Apocalipse já se cumpriu, ocorreu mais precisamente no cerco “romano” a Jerusalém, que foi a investida de 70 mil soldados, no ano 70 d.C., para conter uma rebelião dos judeus contra a autoridade de Roma. Na época ele me bateu ponto a ponto em detalhes comparando ao que estava cifrado no Livro do Apocalipse e o que ocorreu no terrível cerco romano, acabou me convencendo, eu só não transcrevo o que ele me falou porque sinceramente não me recordo, já fazem 7 anos, mas me convenceu na época, e comparando com o que pesquisei, não me resta dúvida, que o Apocalipse está totalmente relacionado ao Império Romano. E como ele me falou, maldosamente, muitos se apoderam com o que lá está escrito para disseminar medo nas pessoas.

Se observarmos a história da humanidade, até mesmo do nosso planeta, a história é cíclica, tende a se repetir, violência, corrupção, desastres naturais sempre existiram e sempre vão existir, e mais do que nunca temos que ficar atentos ao que está escrito na Bíblia, para tomarmos cuidado com os “falsos profetas”, notem que hoje em dia, vivemos em uma era de ouro do conhecimento, temos a Internet, que nos permite o acesso a pesquisas, bibliotecas, notícias do mundo inteiro, podemos saber o que está acontecendo do outro lado do mundo em frações de segundos.

A tecnologia pode ser usada para o bem e para o mal, qualquer um de nós hoje em dia pode se passar por “falso profeta”, podemos consultar o site da Nasa ou outros sites especializados, ver quando será a próxima tempestade solar, hoje em dia estudos científicos já nos dizem que cada tempestade solar, nosso planeta enlouquece com erupções, terremotos, furacões, tempestades, etc. Vemos também que há um crescimento exponencial de grupos extremistas e a disseminação de suas ideias, baseado nessas informações, é só virar os olhos e dizer que em determinado mês haverá desastres naturais e o crescimento da violência, pronto a fórmula está feita e criado um falso profeta. Há uma outra versão também muito interessante, associando o 666 ao www da Internet, até faz muito sentido, mas isso é assunto para uma outra oportunidade, mais uma observação bem interessante, se pegarmos a data do auge da peste negra na Europa que foi em 1353 e somarmos 666, vai dar qual resultado? isso mesmo, 2019, o ano que começou a pandemia do Covid-19, a qual estamos passando, coincidência? vou deixar para vocês pensarem, um grande abraço a todos.

Referências:

https://www.megacurioso.com.br/polemica/39784-revelacao-voce-sabia-que-666-nao-e-o-numero-da-besta-.htm

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/almanaque/por-que-666-e-o-numero-da-besta.phtml

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/06/666-desvendando-o-verdadeiro-significado-do-numero-da-besta-e-outros-mitos-do-apocalipse.html

https://adventismoemfoco.wordpress.com/a-marca-da-besta/

https://www.bibliaonline.com.br/acf/1rs/10

https://www.bbc.com/portuguese/geral-36480815

https://pt.wikipedia.org/wiki/N%C3%BAmero_da_Besta

https://pt.wikipedia.org/wiki/Peste_Negra

https://super.abril.com.br/blog/oraculo/por-que-666-e-o-numero-do-diabo/

https://outline.com/LDUJGL

https://facesdaviolencia.blogfolha.uol.com.br/2020/04/12/666-anos-que-separam-a-peste-e-a-pandemia-de-covid-19/