A ORIGEM DA PÁSCOA

13/04/2021

De acordo com os registros do Novo Testamento, no Cristianismo, Páscoa ou Domingo da Ressurreição, é um feriado religioso que celebra a ressurreição de Jesus no terceiro dia após ser pregado e morto na cruz. Esta é a principal celebração do ano de culto cristão e também o feriado cristão mais antigo e importante, e tem suas origens baseadas na tradição judaica.

O termo “Páscoa” deriva, através do latim Pascha e do grego bíblico Πάσχα Paskha, do hebraico פֶּסַח (Pesaḥ ou Pesach), que significa passagem, termo que designa a Páscoa judaica, na tradição judaica, a Páscoa acontece a partir do momento em que os israelitas se libertam da escravidão dos egípcios. Não é fácil precisar datas, já que os registros arqueológicos são escassos. É possível situar o período de escravidão próximo ao século 13 antes de Cristo, na época do reinado do faraó Ramsés 2º (1279 a 1213 a.C.), também faz menção à passagem do anjo da morte ou anjo exterminador pelo Egito durante a execução da décima praga, que foi responsável pela dizimação de todos os primogênitos daquela terra, em especial, os egípcios, não poupando nem o filho do Faraó. Esta comemoração foi uma ordem direta de Javé a Moisés, que a transmitiu para o povo conforme o relato bíblico:

Chamou pois Moisés a todos os anciãos de Israel, e disse-lhes: Escolhei e tomai vós cordeiros para vossas famílias, e sacrificai a páscoa.

Então tomai um molho de hissopo, e molhai-o no sangue que estiver na bacia, e passai-o na verga da porta, e em ambas as ombreiras, do sangue que estiver na bacia; porém nenhum de vós saia da porta da sua casa até a manhã.

Porque o Senhor passará para ferir aos egípcios, porém quando vir o sangue na verga da porta, e em ambas as ombreiras, o Senhor passará aquela porta, e não deixará o destruidor entrar em vossas casas, para vos ferir.

Portanto guardai isto por estatuto para vós, e para vossos filhos para sempre.

E acontecerá que, quando entrardes na terra que o Senhor vos dará, como tem dito, guardareis este culto.

E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este?

Então direis: Este é o sacrifício da páscoa ao Senhor, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se e adorou.

Êxodo 12:21-27 |1|

Concílio de nicéia

A data da Páscoa foi instituída pela Igreja durante o Concílio de Niceia, em 325 d.C. A Igreja determinou que a primeira lua cheia após o equinócio de primavera seria a data para iniciar-se a comemoração da Páscoa. O equinócio marca o início da primavera no hemisfério norte, ou seja, a data de comemoração da Páscoa ficou uma data móvel e pode acontecer entre o período de 22 de março e 25 de abril.

A crucificação e ressurreição de Cristo teriam acontecido exatamente na época de realização do festival judaico, o que criou um paralelo entre as duas comemorações. Uma interpretação do Evangelho de João é que Jesus, como cordeiro pascal, foi crucificado, no mesmo horário que os cordeiros estavam sendo sacrificados no Templo, no meio da tarde, por volta das 15:00h. As instruções na Bíblia especificam que os cordeiros devem ser imolados “a tarde” (Êxodo 12:6), foi o que eu pesquisei na Bíblia, mas há outras fontes que dizem que é bem no final da tarde no crepúsculo. O fato é que no período romano os sacrifícios eram realizados no meio da tarde, daí a simbologia, associando Jesus ao cordeiro, de chamá-lo de Cordeiro de Deus, que ofereceu-se em sacrifício para salvar a humanidade do pecado. Há controvérsias, dizem que o Evangelho de João não coincide com o Evangelho sinótico, mas acho a mais plausível, por causa da associação com o cordeiro, senão essa simbologia não estaria conosco até hoje.

Além da tradição judaica e cristã, a Páscoa moderna agregou elementos de outras culturas não cristãs, isto é, pagãs. Esse processo aconteceu, sobretudo, a partir da cristianização dos povos germânicos na Europa. Os historiadores afirmam que, durante esse processo, uma série de elementos das culturas desses povos foi sendo apropriada pelo cristianismo.

Em alemão, o termo para Páscoa é Ostern (possui semelhança com Ostara), que é o nome da Deusa Anglo-saxônica Ostara, a Deusa da primavera, da ressurreição, do renascimento, do amanhecer; em inglês também temos uma variação interessante, o termo para Páscoa é Easter (possui semelhança com o termo Eostern). É a partir dessa Deusa, que surgiu o coelho da páscoa, uma curiosidade, é que no alemão o coelho chama-se osterhase, o que reforça mais ainda a aproximação com a Deusa Ostara.

representação da Deusa Ostara - créditos: google imagens
representação artística da Deusa Ostara

De acordo com essa teoria, remonta uma história na qual a deusa Ostara transformou um pássaro em coelho para divertir algumas crianças, O pássaro (transformado em coelho) não estava feliz com a transformação e desejou voltar à sua forma original. Ela tentou de tudo, mas não conseguiu desfazer o encantamento. A magia estava feita e poderia ser revertida. A deusa decidiu esperar pelo fim do inverno, pois nesta época do ano seu poder diminuía. O coelho assim permaneceu até a chegada da Primavera. Com os poderes no apogeu, Ostara pôde transformar e reverter a magia, e o coelho transformou-se novamente em pássaro, como forma de agradecimento, o pássaro deixou alguns ovos coloridos para a deusa, que, então, os deu de presente para as crianças. Essa teoria fez com que Ostara fosse popularizada como a origem da associação dos ovos coloridos com o coelho e a Páscoa.

Há outras teorias, mas acredito mais nesta citada, a que faça mais sentido, por causa da semelhança dos nomes e da história da Deusa Ostara, porque quando buscamos a origem de qualquer coisa, é bom prestarmos atenção na etimologia das palavras, geralmente chega-se bem perto do que estamos atrás.

A relação do ovo com as diversas culturas humanas é já ancestral. Desde os primórdios da humanidade que o ovo foi considerado como a mais perfeita embalagem da natureza.

Sabe-se que os sacerdotes druidas escolheram a imagem do ovo como seu símbolo. Os chineses tinham o hábito de pintar ovos de pata para celebrarem a vida que deles nasce.

No antigo Egito, Pérsia, Grécia e Roma os ovos eram dados como presente para celebrar a chegada da Primavera e eram cozidos e comidos durante as celebrações. Estas culturas consideravam o ovo como símbolo do universo, como o princípio da vida.

Como os ovos já estavam impregnados na cultura, teólogos passaram a justificá-lo como um símbolo do renascimento de Jesus da tumba, surgindo como um pintinho recém-nascido e deixando para trás uma casca (no caso a tumba) vazia.

Existem algumas versões para explicar a substituição de ovos naturais pelos de chocolate. A hipótese mais provável é a que se refere à indústria de chocolate, iniciada pelo holandês Van Houtem, em 1828.

Meus amigos, o assunto em pauta, creio que esclareci, não vou entrar no mérito se Jesus existiu ou não, porque eu não tenho dúvidas de que ele existiu, já vi em documentários e em outros artigos de que Jesus não existiu porque nenhum historiador da época o citou, isso não é verdade, Tácito, governador romano e historiador o citou, Josefo, era um líder militar e historiador judaico também o citou. Eu estou citando personagens históricos que não estão na Bíblia, fora os que estão na Bíblia, então para mim isso é assunto encerrado, também temos os relatos dos espíritos, que são unânimes em falar que ele realmente existiu, e não demonizem tal comemoração, festa, ou símbolos, só porque são associados a Deuses pagãos, se pesquisarem de perto, verão que só mudaram os nomes, mas eles continuam aí, mas esse é um assunto que irei abordar bem mais adiante, um grande abraço e que Deus ilumine a todos.

Referências:

https://www.historiadomundo.com.br/curiosidades/origem-pascoa.htm

https://mundoeducacao.uol.com.br/pascoa/historia-pascoa.htm

https://pt.wikipedia.org/wiki/P%C3%A1scoa

https://origemdascoisas.com/a-origem-da-pascoa/

https://www.portalsaofrancisco.com.br/calendario-comemorativo/pascoa

https://www.portaldorancho.com.br/portal/origem-do-coelhinho-da-pascoa

https://mundoeducacao.uol.com.br/pascoa/coelho-pascoa.htm

https://www.bbc.com/portuguese/geral-43577512